quarta-feira, 16 de junho de 2010

Refutação da refutação da minha refutação...

Anos atrás li um artigo em relação ao beijo, que eu resolvi refutar, por algumas questões legalistas. O autor do artigo resolveu se manifestar, refutando minha refutação no começo desse ano. Só fui ver alguns meses depois tal refutação, e respondi a mesma, e enviei para ele acreditando que ele iria publicar minha segunda refutação no site dele, porém ele não publicou... Esperei o tempo passar e hoje estou postando minha refutação da refutação da minha refutação.

A refutação do autor do artigo, da minha refutação se encontra nesse link: http://www.geracaobenjamim.com/modules/smartsection/item.php?itemid=96

Jeff, você tentou refutar minha refutação sobre o artigo: Mais sexo um beijo! Então aqui vai um texto refutando sua refutação sobre a minha refutação... Espero que você publique o mesmo.

Para melhor compreensão de nossas divergências em relação à temática, estarei colocando parte do seu texto que irei refutar (em itálico), e embaixo a refutação...

Como que alguém que se chama de “filho de Deus” iria querer defender algo que obviamente não se encaixa dentro do que nós chamamos de Santidade ao Senhor?

Primeiro: Não questione se alguém é filho de Deus ou não só porque a posição do mesmo não é igual a sua. Isso é legalismo!
Segundo: Mostre-me biblicamente onde beijar é falta de santidade ao Senhor... Melhor, me explique o que é santidade ao Senhor...

Talvez esteja tentando justificar algo que está ou estava praticando na vida dele

Esse “talvez” que você usara no inicio da frase foi cabível, mas seria mais cabível se você nem tentasse adivinhar o que está passando na vida de uma pessoa, só porque a mesma adota um posicionamento diferente do seu. Isso é antiético!

Eu senti uma ira pensando em tantos jovens que podiam ser influenciados por uma besteira dessa.

Não pretendo influenciar ninguém com essa “besteira”, mas só abrir o olho do leitor para uma vida de firmeza doutrinária, e não de falsos ensinamentos que são ditos bíblicos, como vocês têm feito...

Ou quem sabe outros jovens que só precisavam de alguém para ajudar eles ignorarem os toques do Espírito Santo dizendo que não está certo e liberar tudo de uma vez por todas.

Primeiro: Você não pode dizer que eu ignoro o toque do Espírito Santo, pois você não me acompanha diariamente e ministerialmente...
Segundo: Não pretendo liberar tudo de uma vez por toda, mas só ensinar qual é a santidade que a Bíblia exige, e, não, como vocês, impor minha ideologia!

O negócio não era tanto sobre o beijo sendo um ato sexual ou não, mas se é pecado ou não.

Acertou na mosca! Parabéns! Então segue a lógica que talvez ficou obscura no artigo:

O ato sexual fora do casamento é pecado,
O beijo não é ato sexual,
Logo, o beijo não é pecado.

Eu temo pelo que vejo hoje em dia na igreja. Houve um tempo em que os crentes foram conhecidos como Puritanos, hoje está muito longe disso.

Também temo o que vejo nos dias de hoje na igreja. E acredito que a receita é a mesma que os Puritanos (já que você citou os mesmos) usaram, que não é só a pureza espiritual, mas, sim, também a doutrinária.

Mas, então, vamos fingir que a opinião de Deus acerca de pecado não é importante.

Isso não se faz nem por fingimento! Falta de temor...

“Contato sexual que pode levar a ‘foreplay’ (passar mão e tocar em áreas geralmente consideradas privadas).” O que seria isso? O que vem antes de passar mão? Será que um beijo se encaixa aqui? Deixando o óbvio de lado. Vamos avançar. Obviamente um ato sexual não se limita ao ato do sexo, e isso nos leva a primeira pergunta citada na “refutação”: “Se o beijo é um ato sexual porque ele “pode” me levar ao sexo”? Ou como ele mais tarde cita, “Pense nisso: se o beijo é um ato sexual porque leva ao sexo, então ele deixa de ser ato sexual...” Como??? Bom, tentando evitar chamar alguém de burro, vamos pensar sobre a pergunta que é nada mais do que isso. “Como algo pode ser um ato sexual se me leva ao ato do sexo?” Na verdade a pergunta nem faz sentido, pois existem muitos atos sexuais que podem ser feitos que levam ao sexo sem ser sexo. Isso é meio óbvio. Passando mão seria considerado um ato sexual que pode levar a sexo. Masturbação mútua seria considerado uma ato sexual que pode levar a sexo. O beijo é uma expressão sexual, ou ato se quiser, que pode levar ao sexo. Todos são atos sexuais, sem ser o próprio ato de transar.

Nesse parágrafo mostra-se a dificuldade com compreensão de texto que você tem... Primeiro, o dicionário diz que a “foraplay”, a maturbação e o orgasmo são os atos sexuais, e não o beijo! Se o beijo conduz ao ato sexual é outra história, mas o próprio não é ato sexual. E repetindo o que eu falei no artigo, que acredito que você não prestou atenção, o beijo pode vim antes do passar a mão, mas o que vem antes do beijo? Vamos supor que é um abraço. Então seguindo a lógica de vocês, devemos considerar o abraço um ato sexual!

Diante as suas respostas a minha pergunta, sinto lhe dizer que você não conseguiu realizar! Os exemplos que você citou como “masturbação”, “passar a mão” já são considerados sexo/ato sexual como o próprio dicionário que você utilizou ensina. Foi realmente bom você tentar evitar de me chamar de burro. Pois o que você seria, se não conseguiu compreender a expressão, e nem responder minha pergunta?

O beijo não é um ato sexual! Você ainda não me provou ao contrário, nem com uso de dicionário...

Gostaria de até colocar algo extra aqui. Muitos pegam essa idéia do beijo fora do casamento sendo pecado e se defendem dizendo que é “um ato de carinho”. Bosta! Essa é a minha resposta. É uma montanha de bosta. Se é um ato de carinho, então devemos fazer com todos que merecem nosso carinho. E eu nunca vi um cara beijar a sua avó ou sua mãe, ou seu amigo da mesma maneira que beija a sua namorada.
E com certeza se existe alguém que merece carinho do filho, essa é sua a mãe ou sua avó. Mas sabemos que é uma mentira. Todos sabem que é muito diferente a maneira de como um rapaz beija o rosto da sua mãe e como ele beija a sua namorada. Mas, qual é a diferença do que estamos falando? Vai me falar que é somente carinho e não algo sexual? Mentira. Carinho é carinho. Mas carinho com toques sexuais é meio óbvio, e o beijo se enquadra nessa. É uma expressão sexual. E dizer outra coisa é mentira. Se duvida disso, faz o seguinte a próxima vez que estiver com sua galera, dê um selinho na boca da namorada do seu amigo ou namorado da sua amiga e veja se vocês continuam como amigos. Melhor, tentar explicar que não era nada além de um ato de carinho. Melhor ainda, tenta dar um beijo na boca do seu amigo ou sua amiga. É ruim!

Acredito que você viu que eu não usei esse tipo de argumento. No entanto, pense que existem expressões de carinhos diferentes, com pessoas diferentes, para ocasiões diferentes... Não seja ignorante!

Partindo para algo extra também, te oriento em não usar essa expressão: Bosta. Talvez não seja um palavrão, mas como um ministro do Senhor se faz necessário ter algumas posturas éticas...

Agora, vamos manter o curso. O nosso refutador logo depois aborda um monte de resultados negativos relatados ao sexo e faz uma colocação como se fosse eu culpando o beijo, pois falei numa parte que quase todas às vezes começa com um beijo. Não querendo dizer que não houve pensamentos antes, mas querendo mostrar que na maioria dos casos de gravidez e estupro, etc., rolava o beijo antes do resultado. Ninguém falou que era o resultado do beijo como foi argumentado, “Com isso não podemos fazer uma comparação de causa e efeito com o beijo e essas conseqüências que foram feita pelo sexo genital”. Dizer que algo começou com outra coisa, não é a mesma que declarar que a primeira causou a segunda. Posso comprar mil cigarros e morrer saudável. Mas, se fumo um deles, posso morrer de câncer. No mesmo se eu não tivesse comprado os cigarros eu nunca teria fumado, e é bem provável que não morreria de câncer. Comprar foi o ato que veio primeiro, o começo, mas não foi a causa, a causa foi fumar. (Eu não fumo só para vocês saberem). E assim eu não culpo o beijo por nada, mas apenas menciono que o que rola no “namoro santo” hoje em dia e os maus resultados geralmente COMEÇA com o beijo, sem culpar ele. A refutação feita por ele era pra dizer se o beijo é pecado ou não e aqui vemos o argumento fugindo do seu propósito declarado.

Então você não colocou o beijo como causa? Então acredito que você precisa atualizar aquele artigo, pois não é que o mesmo ensina implicitamente.

E agora como você me diz que não culpa o beijo, sendo que você declara que o mesmo é pecado?

Citando ele: “Repito, todas essas conseqüências foram trazidas pela falta de domínio próprio”. Com isso eu concordo, mas discordo de onde devia ter começado. Eu digo antes de beijar, outros dizem depois. Tem até um pregador safado por aí na nação que encoraja os rapazes de colocar as suas mãos dentro da blusa da sua noiva antes de casar para estar familiar com a área e não se assustar na noite da lua de mel. Ó nação, onde estamos indo??? De qualquer jeito, eu aposto que Deus ficaria do meu lado. Domínio próprio começa antes do beijo e não depois. Se não quer viciar em craque, nem comece a fumar maconha.

Acredito que o domínio próprio pode ser utilizado depois. E que se ficar sem beijar, deve ser como atitude prudente, e não como falta de domínio próprio/pecado.

Esse pregador que você citou, realmente foi infeliz em sua abordagem. Pensando em você e nele, vejo um ótimo exemplo de legalismo (Rm 7) e libertinagem (Rm 6)...

Continuando, “Por exemplo, Davi teve um ato sexual com Bete-Seba, pois ele deitou com ela e não porque olhou (apesar de ter pecado também, pois olhou premeditando o ato)”. De novo eu concordo com ele. Davi pecou antes quando olhou e pensou. Vamos dizer que o beijo depois com ela então não era??? Claro que ele estava beijando uma moça casada, mas talvez eles fossem bons amigos e era uma mostra de carinho.

Só um inocente usaria essa ironia sua diante o contexto inteiro. Vemos claramente porque ele a beijou!

A verdade é que o “carinho” do beijo é algo reservado somente para casamento. Não tem nenhuma razão certa de mostrar carinho por meio de algo que é sem nenhuma dúvida uma expressão sexual fora do casamento.

Você não mostrou biblicamente e nem com o dicionário que você utilizara que o beijo é carinho só para o casamento/uma expressão sexual... Para de querer impor sua ideologia e seja mais biblicista...

Agora, nós somos obrigados a voltar ao argumento velho e banal, “Onde está escrito na Bíblia que o beijo é pecado?”... Bom, a Bíblia não fala em nenhum lugar que o beijo é pecado. Está bom. Está liberado então, também está liberado fumar maconha e se masturbar e um monte de outras coisas que a Bíblia não cita por nome...

Por esse argumento ser considerado velho e banal é que vemos as várias heresias e várias imoralidades serem criados nos seios da igreja... A maconha não está liberada, pois a bíblia ensina implicitamente que a prática da mesma é pecado, como assim também a masturbação... Mas agora a bíblia não ensina em nenhuma parte implicitamente que o beijo é pecado...

Vamos para algumas perguntas para melhorar sua interpretação ao texto que você usou, para depois querer fazer as aplicações:
1 Ts 4.1 – 8: Quais são as instruções do versículo 2? O que santificação e imoralidade sexual do versículo 3? O que são os desejos sexuais depravado dos incrédulos do versículo 5? O que é ser santo e ser honroso do versículo 4? O que não é ser impuro no versículo 7? Quais são os pecados que Deus vai condenar os homens que o apóstolo já avisou do versículo 6?

Rm 13.11 – 14: O que significa a expressão ”obras más das trevas” do versículo 12? O que significa orgias, bebedeiras, imoralidade sexual do versículo 13?

Lembra em responder essas perguntas não com suas ideologias, mas diante o contexto integral, maior e menor do texto. E preferivelmente veja também o pano de fundo!

então faz o seguinte, leva o seu beijo com sua namorada ou seu namorado para Deus e pergunta a Ele opinião Dele. Se Ele disser que esta errado, então pare. Se Ele disser que está tudo bem, então repreende o anjo da luz fingindo ser Ele.

Deus já me revelou sua vontade nas Escrituras... A opinião Dele já está expressa nas Escrituras, e eu já estudei a temática diante as Escrituras, e não vi nenhuma condenação, logo está tudo bem, e não preciso repreender isso, pois é a própria revelação especial Dele que me mostra que não está errado...

“A antropóloga, autora de livros sobre sexualidade, amor e diferenças de gênero no cérebro, disse que beijar representa pouco mais de 90% das atividades sociais dos seres humanos e também é um instinto natural para estimular os mecanismos da reprodução. "Quando beijamos, vemos, cheiramos, sentimos o outro. A saliva do outro contém quantidades de hormônios que são um indicador de sua personalidade. Ao beijar, o cérebro fica ativo. Cinco nervos levam mensagens do que estão sentindo. É realmente uma ferramenta de avaliação muito poderosa", disse Helen Fisher.

A pesquisadora dirigiu uma série de estudos baseados em imagens do cérebro e afirma que, quando uma pessoa beija outra, tem acesso a três sistemas cerebrais primários utilizados para a união e a reprodução: a conduta sexual, o amor romântico ou apaixonado e, em terceiro lugar, o afeto. Segundo Fisher, o beijo ativa diferentes reações químicas que estimulam os três sistemas. Quando beijamos impulsionados pelo amor romântico, uma parte do cérebro enlouquece e se comporta "como se estivesse sob os efeitos da cocaína". "O amor romântico é um impulso poderoso que vem do motor da mente, da área responsável pelas dependências", afirma a antropóloga.

Fisher acredita que "as reações químicas cerebrais causadas pelos beijos estão presentes na 'paquera', mesmo que não sejamos conscientes delas". O estudo assegura que um simples beijo aumenta a pulsação do coração de 70 batimentos para cerca de 150, o que força o bombeamento por parte do coração de um litro de sangue a mais, pois as células pedem mais oxigênio para trabalhar. E este aumento da taxa de oxigenação auxilia o metabolismo celular”.


Em nenhum momento ela diz que é um ato sexual... Mas uma vez você tenta força um texto para querer provar sua ideologia falaciosa... Preste atenção, o beijo ESTIMULA/IMPULSIONA, ou seja, ele leva a alguns dos sistemas mencionados, mas não é o amor romântico, a conduta sexual ou o afeto em si... Como eu já disse, o beijo deve ser evitado por prudência, e não porque ele é um ato sexual/pecado, pois não é...


“Durante o beijo, seu corpo libera ‘neurotransmissores’ (mensageiros químicos no cérebro) como num exercício intenso, pulando de pára-quedas de um avião ou correndo por uma longa distância. O coração bate mais rápido, até 150 pulsos por minuto em comparação aos normais 70, e a respiração se torna mais trabalhada e irregular” Science World (07/02/2003).
• Os lábios têm a pele mais fina no corpo humano e tem mais neurônios sensórios do qualquer região do corpo, mas do que até própria genitália. Assim, uma metade dos neurônios craniais influência o beijo liberando um dilúvio de mensagens e químicas que criam as intensas sensações eufóricas e os sinais vitais sobre o potencial sexual e de parceria.
• O prazer do beijo pode estar ligado ao fato do tato labial ser duzentas vezes mais sensível do que o tato nos dedos.
• Os corpos das pessoas, enquanto ocorre o beijo, produzem substâncias 200 vezes mais poderosas do que a morfina em termos de efeito narcótico. É por isso que um casal pode sentir euforia ou êxtase durante um beijo.

Em nenhum desses textos diz que o beijo é um ato sexual... Só diz quais são as reações que ele causa... É difícil de entender isso?

É uma droga: durante o beijo, são liberadas ondas dos neurotransmissores norepinefrina, dopamina e feniletilamina, que se ligam aos receptores do prazer no cérebro. Elas geram as mesmas sensações de euforia que as pessoas têm quando riem, fazem exercícios físicos ou tomam drogas como cocaína e heroína.

Se seguir sua lógica estapafúrdia, digo então que fazer exercícios físicos, rir e usar droga podem ser atos sexuais também...

85% da sua sensibilidade sexual estão na sua boca.

Sensibilidade e ato são palavras e expressões diferentes... Sendo assim, sensibilidade sexual não é o mesmo que ato sexual... Existem abraços entre namorados que se tornam sexualmente sensíveis, mas isso não quer dizer que eles realizaram sexo...

O assédio sexual do homem de Canadá não ocorreu por causa do beijo, mas porque ele agarrou e tentou obrigar alguém fazer algo que não queria em relação à atitude que desperta sensibilidade sexual...

Se for seguir a lógica de que o estatuto italiano considera um beijo o ato sexual, pare para pensar quantas nações não consideram o mesmo como ato sexual, e daí vamos ver quem está com a razão...

Em relação que você relatou sobre andar com Espírito, acredito que o mesmo ocorre com meditação e estudo da palavra, com oração. E a palavra não condena a prática do beijo... Como você com sua mentalidade tenta impor, mentalidade essa humana e não espiritual...

Encerrando essa parte quero realizar duas ponderações: 1° Deus não está ao lado dessa ideologia sua, como você propôs no começo. Pois Deus só anda com ideologias fundamentadas biblicamente. 2° Ser santo não significa deixar de beijar, mas é muito mais do que isso. É abster-se do que a bíblia realmente ensina; e ter um viver de servo na casa do Pai... 3° Vamos voltar para uma verdadeira espiritualidade... Fundamentado na bíblia e não em nossas ideologias radicais, legalistas e que se tornam demoníacas.

Gostaria de relatar que o artigo que eu elaborei como refutação não foi para defender minhas práticas, como alguns comentaram na parte dos comentários... Mas foi elaborado com uma preocupação contra o radicalismo anti – bíblico que tem tentado entrar para nosso meio.

Um comentário:

Monsueto Araujo de Castro disse...

ENGANAR AS PESSOAS EM NOME DE JESUS:É com tristeza que vejo muitos pregadores desonestos, enganando as pessoas em nome de JESUS. É muita gente safada, visando apenas dinheiro, mais dinheiro, falando o nome de JESUS. Você para alcançar ou ser atendido por DEUS, não precisa pagar ou dar dinheiro pra ninguem, é só fazer o pedido com fé. Agradeça quando for atendido. Podendo, ajude sim.É importante participar e ajudar as pessoas. Existem muitas instituíções religiosas sérias, procure obter informações,antes de se tornar membro de alguma delas.