sexta-feira, 9 de maio de 2008

Trindade.

A trindade é o Conceito Cristão de que Deus é um em Essência, apesar de existir como três Pessoas distintas: Pai, Filho e Espírito Santo. As sementes dessa doutrina encontram-se no testemunho do Novo Testamento sobre Deus se revelando em três formas: como Pai, fonte de todas as coisas; como a Palavra Divina/Filho, que se tornou carne para se revelar o Pai e redimir a raça decaída; e como o Espírito, que concede vida e unidade a Igreja e testemunha acerca do Pai e da Palavra divina/Filho. A terminologia teológica usada pela Igreja para expressar a doutrina tem mudado o significado com o passar do tempo. Os pais gregos falaram sobre três "hipósteses" (entes) em uma "ousia" (ser ou substância), que em latim se transformaram em três "personae" em uma "substantia", ou seja, três pessoas em uma substância. Os termos usados para definir pessoa, entretanto, em grego e em latim, não possuíam o forte sentido de autoconsciência individual encontrado no termo moderno.
Dentro da unidade do único Deus existem três pessoas distintas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo; e estes três compartilham da mesma natureza e atributos; então, com efeito, estes três são o único Deus. Vamos vê alguns pontos para entendermos melhor o assunto:

Deus é um só, e não três deuses (Dt 6:4).
Mesmo sendo um Deus, são três pessoas (Mt 28:19).
O Pai é Deus (1Co 8:6)
O Filho é Deus (Hb 1:8; Jo1. 1).
O Espírito Santo é Deus (Atos 5: 3-4)

Existem vários textos que confirma essa doutrina (Mt 3:13 á 17; Ap 1:4 á 6; Gn 1:1 á 3; Jo 14:16; Jo 15:2; Gn 1:26; 1 Jo 4: 2, 13 e 14). Além destes textos existem outros, mas os textos que eu mais gosto para defende-lá são (Is 6:3; Ap 4:8). Vemos que em ambos os textos, a uma Declaração de Santo três vezes, dando ênfase a um só Deus. Por que será? Vejamos o exemplo a seguir:
Santo, Santo, Santo és (o verbo ser na segunda pessoa do singular) o Senhor Deus Todo - Poderoso.
Santo Espírito Santo
Santo Filho
Santo Pai
Então vemos que há uma expressão da segunda pessoa no singular, porém sendo declarado santo trêz vezes, por ser várias pessoas. Sensacional!
Com este exemplo entendemos melhor a questão de Um Deus em três Pessoas Distintas. Encerro esta parte com um texto de Tertuliano, o Apologeta:

“A doutrina da trindade foi divinamente revelada e não construída por seres humanos. Ela é tão absurda aos padrões humanos que ninguém poderia inventar. Não defendemos a doutrina da trindade, por que é evidente por si ou logicamente convincente, nós a defendemos porque Deus revelou que é assim. E como alguém disse a cerca dela: Tente explica-la e você poderá perder a cabeça; mas tente negá-la e você perderá a alma.”

Maurício Montagnero.

Um comentário:

Junior disse...

Gostei do final..rss., "Tente explicá-la e você perderá a cabeça, tente negá-la e você perderá a alma"...

Abraço...Junior.